Ceriblog

Creatio Continua

Page 2 of 20

#ScriPitch – Talk at Ten (25/03/2021)

Foi muito legal receber o convite da West London Business para falar um pouco sobre o trabalho criativo durante a pandemia, e sobre como lidamos com isso dentro da ScriPitch Media.

Na conversa, falamos sobre a vocação empreendedora da zona oeste de Londres; a região é reconhecida pelos seus estúdios de cinema e é considerada um hub para a economia criativa da cidade. Clique no link acima para conferir o programa completo (apenas em inglês).

The Explorer

Rudyard Kipling, Collected Verse of Rudyard Kipling (New York: Doubleday, Page and Company, 1915)

“There is no sense in going further – it’s the edge of cultivation,”

So they said, and I believed it – broke my land and sowed my crop – built my barns and strung my fences in the little border station. Tucked away below the foot hills, where the trails run out and stop.

Until a voice, as bad as Conscience, rang interminable changes,

On one everlasting Whisper day and night repeated – “Something hidden. Go find it. Go and look behind the Ranges — Something lost behind the Ranges. Lost and waiting for you. Go!”

So I went, worn out of patience; never told my nearest neighbours; stole away with pack and ponies – left’em drinking in the town and the faith that moveth mountains didn’t seem to help my labours, as I faced the sheer main-ranges, whipping up and leading down.

I remember going crazy. I remember that I knew it.

Got my strength and lost my nightmares. Then I entered on my find.

To the Actor

Trecho do livro “To the Actor”, de Michael Chekhov. Traduzido por Ceriblog


É tarde. Depois de um longo dia de trabalho e de muitas impressões, experiências, ações e palavras – você relaxa e tenta descansar. Você senta com seus olhos fechados. O que aparece na escuridão, em frente aos olhos de sua mente? Você revisita os rostos das pessoas que você encontrou durante o dia, suas vozes, movimentos, suas características e humores. Você corre novamente pelas ruas, passa por casas familiares, lê os sinais. Passivamente, você acompanha a multidão de imagens em sua memória.

Sem perceber, você ultrapassa os limites de hoje, e em sua imaginação surgem visões de sua vida passada. Seus desejos esquecidos e não realizados, seus anseios, seus objetivos, suas vitórias e suas derrotas aparecem como imagens em sua mente. Na verdade, elas não são fiéis aos fatos; essas imagens não são cristalinas como o dia que acabou de passar. Elas estão um pouco diferentes. Mas você ainda as reconhece. Visualizando mentalmente, você acompanha o movimento delas com um grande interesse, com uma atenção redobrada, porque elas estão mudadas. Elas, agora, carregam alguns traços de sua imaginação.

Muito mais acontece… Nas visões do passado algumas imagens surgem, aqui e ali, que são totalmente desconhecidas para você! Elas são produto de sua imaginação criativa. Elas aparecem, desaparecem, e ressurgem novamente, trazendo com eles novos desconhecidos. Eles se relacionam. Eles começam a “atuar”, praticar “perfomances” diante de seu olhar fascinado. Você segue suas vidas. Você fica absorto, sendo carregado até sentimentos estranhos, diferentes atmosferas, casos de amor, ódio, felicidade e infelicidade desses hóspedes imaginários.

Você está acordado, e sua mente está ativa. As reminiscências de si mesmo ficam cada vez mais distantes; essas novas imagens são mais fortes. Você se surpreende pelo fato de cada uma delas possuir uma vida independente; elas aparecem sem convite.

Elas te forçam a sorrir e chorar com eles. Como mágicos, eles te convidam para o palco, e você tem o desejo incontrolável de se juntar a eles. Você faz parte das conversas, e se vê junto com eles; você quer atuar, e você faz isso. De um estado mental passivo, essas imagens te fizeram agir.

Este é o poder de sua imaginação.

Wreckage – Trauma in Colors

Tive o prazer enorme em fazer parte de um episódio do programa de rádio Nektar Island, apresentado pelo amigo Chawat Lancien e por Christian Müller na K2K Radio. Nós também falamos no telefone com o grande Martim Fernandes (compositor da trilha original do filme), e conversamos um pouco sobre o processo de criação do curta “Inventário”. De quebra, ainda botamos para tocar Eletroímãs Catalíticos e Crappy Jazz 🤘

Para ouvir o episódio completo, é só clicar no link acima!

« Older posts Newer posts »

© 2021 Ceriblog

Theme by Anders NorenUp ↑